Tanques de Areia

Seja na praia ou no parquinho, no quintal ou na beira dos rios, os pequenos se deliciam com a areia. Aqui damos algumas dicas de como este elemento tão importante para o desenvolvimento da criança pode ser incorporado no dia-a-dia das crianças de forma criativa e segura.

 

Como desinfetar o tanque de areia

É recomendável desinfetar a areia semanalmente. A desinfecção deve ser feita quando o parquinho estiver sem crianças. A manipulação de produtos clorados exige cuidados com a dispensa dos vasilhames vazios e uso de equipamento de proteção individual pelos trabalhadores envolvidos na tarefa. Vale destacar que a solução clorada não elimina todos os parasitas ou bactérias que eventualmente estejam na areia.

  1. Usar 10 gramas de hipoclorito de sódio (em pó) em 1 litro de água para cada metro quadrado de areia. Se você utilizar água sanitária a 2,5%, preparar uma solução com 15 colheres deste produto + 2,5 litros de vinagre em 5 litros de água para cada metro quadrado.
  2. Aplicar a solução, revolver bem e não usar o tanque por dois dias.
  3. Passados os dois dias, revolver a areia novamente antes de usar.

(Manual Creche Saudável – CECIP/ ASBRAC/ UNICEF, Rio de Janeiro, 1997)

Cuidados com a higiene do local

  • Colocar telas ao redor do tanque de areia para evitar o acesso de animais. Caso seja impossível esse isolamento, recolher imediatamente fezes de animais e descartar.
  • Fazer um exame parasitológico da areia antes de colocá-la em uso e repeti-lo periodicamente, pelo menos de seis em seis meses.
  • Na sexta-feira, desinfetar a areia (ver abaixo) e revolvê-la, voltando a revolvê-la na segundafeira antes de as crianças a usarem.
  • Lavar os brinquedos de areia com o mesmo cuidado e freqüência com que se cuida dos brinquedos de sala.
  • Construir o tanque de areia com sistema de drenagem que o impeça de ficar úmido e empapado em dias de chuva.
  • Deixar o tanque em local ventilado e ensolarado.
  • Cobrir o tanque com plástico resistente ou lona, principalmente à noite.
  • Não permitir que durante reformas ou pinturas sejam misturados restos de cal, cimento ou outras substâncias químicas na areia, devido ao risco de intoxicação e queimadura.
  • Revolver, de tempos em tempos, a areia das partes mais profundas para as mais superficiais, assim como das áreas sombreadas para as ensolaradas.
  • Periodicamente, peneirar a areia para retirar pedrinhas, galinhos e pequenos objetos perdidos ou até mesmo “escondidos” pelas próprias crianças.
  • Qualquer dúvida sobre esse assunto ou procedimento a ser adotado, contatar o Centro de Controle de Zoonoses da sua cidade.

Cuidados com as crianças

  • As roupas e calçados devem ser adequados ao tipo de brincadeira. Providenciar, com ajuda dos familiares, bonés para proteção do sol.
  • Após a atividade, todas as crianças precisam lavar bem as mãos e antebraços e retirar resíduos que eventualmente tenham entrado na roupa ou sapato. O contato prolongado com areia ou água costuma trazer desconforto e irritação da pele. Mesmo os adultos, quando vão à praia e ficam na areia, logo gostam de tomar uma ducha, mudar de roupa e calçado.
  • As crianças que cumprem o período integral necessitam de banho ou cuidados de higiene parcial para remoção completa da areia do corpo, calçado e roupa.
  • As crianças devem ser orientadas e supervisionadas para que não joguem areia no rosto dos amigos e para não levarem areia com as mãos para os próprios olhos.
  • Em caso de acidente com areia no olho, lavar imediatamente com água limpa abundante ou soro fisiológico e encaminhar ao serviço de saúde para avaliação.
  • Crianças que apresentem deficiência visual significativa necessitam de orientação do oftalmologista quanto ao risco de acidente resultante de contato com areia – algumas dessas crianças podem ter o reflexo corneano diminuído ou ausente, facilitando a entrada da areia nos olhos, o que pode agravar a lesão pre-existente.
  • Caso alguma criança apresente reação alérgica ao contato com areia, é necessário consultar o profissional de saúde para combinar os cuidados específicos. Nos casos em que há contra-indicação total ao contato direto com a areia, deve-se substituir esta brincadeira por outra e explicar o motivo para a criança e seus amigos.

Fonte: Instituto Avisa Lá – Educação Continuada de Educadores
Leia a matéria na íntegra