Edifício Vitra

Procurados pelo escritório de paisagismo Gilberto Elkis e pela incorporadora JHSF, a LAO foi convidada a desenvolver um equipamento de recreação para um empreendimento icônico na cidade de São Paulo, o edifício Vitra, um projeto contemporâneo assinado pelo renomado arquiteto Daniel Libeskind.

Empreendimento

O desafio encomendado era criar um playground moderno e ousado, que conversasse com os traços do edifício e harmonizasse com o paisagismo, assim nasceu o play Linea Vitra.

“O objetivo era resultar em uma obra de arte lúdica que representasse a liberdade, a ousadia e a transparência. O Elkis criou o conceito inicial  inspirado no playground da escola primária De Paradijsvogel, em Ypenburg, na Holanda da dupla de designers Kaptein Roodnat (Marleen Kaptein e Stijn Roodnat) em que o desenho é feito sem tirar o lápis do papel, como uma linha contínua que brinca mergulhando e emergindo do chão de forma livre e brincalhona” explica Lao Napolitano.

A partir daí a LAO Engenharia dimensionou, estudou melhores soluções para o que o play ficasse dentro das normas de segurança e com seu aspecto lúdico e estético em harmonia com a Arquitetura e o croqui inicial do paisagista.

 

Banco Gafanhoto na Bienal de Design 2015

Bienal Brasileira de Design – 2015 Floripa escolheu para essa edição, de 15 de maio a 18 de julho, a temática DESIGN PARA TODOS. Tema que vem de encontro ao nosso; Por uma sociedade mais justa, mais verde e mais gostosa de se viver. Para todos!
A LAO foi selecionada para participar da exposição com o BANCO GAFANHOTO. Um banco-playground, com múltipla função, (lazer, recreação e ócio).
Ao incorporar recreação ela quebra o paradigma da função específica em um mobiliário urbano.
Levamos para um ambiente externo e público os conceitos de fisioterapia e terapia ocupacional através da recreação, possibilitando o usuário sair do ambiente fechado para a prática ao ar livre.
Nosso objetivo é aproximar e fazer interagir pessoas de diversas faixas etárias, condições físicas, culturais e sociais.

Nome do produto: Banco Gafanhoto
Empresa: LAO Design & Engenharia Sustentáveis
Cidade: Cotia – SP
Ano de lançamento: 2013
Designers (autoria do projeto): Ciça Gorski e Lao Napolitano
Materiais: Madeira (Cumarú) e perfis metálicos
Dimensões: 2,00 x 1,60 x 1,04 (altura)

Descrição

O que é essa peça? Um banco-brinquedo.

Quais são as suas funções? Os usuários podem utilizar de diversas formas: Se sentados, será como um banco. Se deitados com as costas apoiadas, será uma espreguiçadeira. Se deitados apoiados de barriga para baixo, será um equipamento suporte de recreação que deixa o tronco apoiado e braços livres para brincar.

Quais são os materiais empregados? Tubos de aço e madeira

Houve preocupação de atendimento à diversidade do ser humano (conceito de design para todos)? Sim

Qual o público-alvo? Usuários de todas as faixas etárias e inclusão de usuários paraplégicos.

O produto ou alguma de suas versões se dirige às classes C ou D? Se dirige a todas as classes, por ser um produto destinado a parques e praças públicas e particulares.

Destina-se a uso individual ou coletivo? Se for uso coletivo, explique as condições em que isso se dá. Individual e coletivo. Ao combinar o banco Gafanhoto com outro(s) banco(s) Gafanhoto surge a possibilidade de iteração de usuários.

Como é, em síntese, o processo de fabricação? Envolvem três frentes de trabalho: serralheria, marcenaria e pintura. Na serralheria, são cortadas e soldadas todas as peças que comporão a estrutura. Acabada esta etapa, a peça é submetida a pintura. Na sequência são cortados e parafusados os deques de madeira sobre a estrutura metálica. Por fim é dado o acabamento, onde há preocupação em eliminar todos os cantos vivos arredondado suas quinas.

Quais foram, em síntese, as intenções e desafios do projeto? Desenvolver um produto inclusivo, atraente para todas as pessoas, de baixo custo e baixa manutenção.

O que motivou você ou sua empresa a essa criação? Quando fomos chamados a participar da criação do projeto Anna Laura Parque para Todos, por convite do Rudi (fundador presidente), topamos na mesma hora pois tem tudo a ver com os nossos princípios e ideais. Nossa missão é contribuir para um mundo melhor através de iniciativas de lazer e recreação. Projetamos produtos que valorizam a conquista da cidadania e do auto desenvolvimento, fortalecendo a diversidade e qualificação do ser humano.

Quais foram os principais desafios ocorridos durante o desenvolvimento do projeto? Equacionar função, estética e inclusão.

Inspiração? Natureza

Características? A peça possui um assento, projetado para que um cadeirante possa fazer a transposição de sua cadeira de rodas para o equipamento. Assim que sentado pode debruçar-se sobre o respaldo inclinado, que têm inclinação e alças laterais que promovem segurança e facilidade para que o usuário possa arrastar-se até o topo, proporcionando liberdade para os braços.

Quais os diferenciais e os aspectos inovadores da sua peça? Esta peça tem múltipla função, (lazer, recreação e ócio) o que a torna atraente para um público diverso. Ao incorporar recreação ela quebra o paradigma da função específica em um mobiliário urbano. Inovamos também ao levar para um ambiente externo e público os conceitos de fisioterapia e terapia ocupacional através da recreação, estamos dando a possibilidade de sairem de um ambiente fechado para a prática ao ar livre.

Qual a visão ou o desejo que embasa o seu projeto? Que o moveu nesse projeto?Quando projeto um produto penso em como ele pode ser uma ferramenta para que as pessoas se desenvolvam, tirem partido dele em todos os níveis: social, físico e espiritual. O produto é um meio e não o fim do processo que almejo. Espero com este banco aproximar e fazer interagir pessoas de diversas faixas etárias, condições físicas e sociais.

Arquibancada Retrátil do SESC Santo Amaro

A convite do SESC e do arquiteto Edson Elito, do escritório Elito Arquitetos, responsável pleno projeto arquitetônico do SESC Santo Amaro, em São Paulo a LAO Engenharia & Design desenvolveu e forneceu as arquibancadas para o ginásio desta unidade.


Por tratar-se de um espaço multiuso, ou seja, capaz de receber eventos de diversas naturezas (culturais, sociais e esportivas), com grande variação na quantidade e variedade de público, além da otimização de espaço para a prática esportiva de seu público no dia a dia, optou-se pelo sistema de Arquibancadas Retráteis.

Vista Geral da quadra

Ideal para este tipo de situação, ela foi projetada de forma customizada com elementos de acabamento que harmonizassem com a estética do local.

Arquibancada Aberta

Arquibancada Fechada (recolhida)

 

 

 

 

 

 

 

Plataformas em deques de madeira tropical (Cumaru), assentos de polietileno na cor preta, estrutura e fechamentos metálicos na cor cinza grafite proporcionam elegância e sofisticação ao equipamento, com praticidade de limpeza e manutenção.

Ainda como componentes de segurança, comunicação e acessibilidade foram desenvolvidos:

- Fechamentos laterais que impedem o acesso do usuário, curioso ou inadvertido, às estruturas móveis abaixo dos assentos e pisos;

Detalhe do Fechamento Lateral

- Iluminação indireta nos degraus da escada através de LEDs, que evitam ofuscamendo da vista ao usuário;

- Numeração de assentos e fileiras para encaminhamento e posicionamento do público.

Detalhe dos degraus da escada e numerações

- Guarda corpos laterais removíveis, evitando quedas dos espectadores e flexibilização de capacidade de lotação;

Detalhe dos Guarda Corpos Removíveis

- Assentos adequados a pessoas com cadeira de rodas e obesos;

Detalhe Assento para Cadeira de Rodas

Detalhe Assento Lombar e Obeso

 

Assista ao vídeo que mostra a operação de fechamento desta arquibancada, e veja como é prático e rápido.

Arquibancadas Retráteis HSBC Arena

Palco da despedida da jogadora Fofão neste domingo passado pela Superliga Feminina de Vôlei, a Arena HSBC foi construída em 2007 para os jogos Panamericanos do Rio de Janeiro e vêm sendo utilizado desde então em eventos culturais e esportivos, como Criança Esperança, UFC, Plácido Domingo, NBA, entre outros.

Por conta disto, a Arena HSBC tornou-se referência no Rio de Janeiro de um espaço multiuso destinado a eventos de diversos portes de público, e uma uma das ferramentas importantes que proporciona esta flexibilidade é a Arquibancada Retrátil.

Desenvolvida pela LAO Engenharia & Design e fabricada no Brasil, as arquibancadas retráteis são constituídas por pórticos metálicos interligados por guias e montados sobre rodas que permitem seu fácil deslocamento. Quando totalmente fechadas, estas estruturas se encaixam de forma a transformar-se num bloco único desocupando a maior parte do espaço anteriormente ocupado.

 

Por outro lado, cada pórtico é montado engatado ao seguinte fazendo com que a operação da abertura dos lances se assemelhe a de um gaveteiro, onde após a primeira gaveta inferior (primeiro lance) terminar totalmente de abrir, ela iniciará a abertura da segunda e assim por diante.

Vantagens:

  • Desocupa a maior parte da área do evento após o uso: permanece recolhida no ginásio, encostada á parede ou até mesmo embutida em um nicho);
  • Se adequa a quantidade de público: pode-se abrir somente a quantidade de fileiras necessárias para acomodação do público;
  • Se adequa ao tipo de evento: há a possibilidade de criação de lay-outs diversos a partir do deslocamento e arranjo dos módulos.

 

LAO na REATECH 2015

 

Seguindo nossa missão de contribuir para o desenvolvimento humano através de iniciativas de lazer, recreação e esporte, a LAO Engenharia & Design vêm desenvolvendo ao longo dos últimos 5 anos pesquisas de produtos com design universal, ou seja, para todos.
Nosso objetivo é promover acessibilidade, valorizando a diversidade da cultura e humanidade, respeitando e integrando as diferentes origens de ordem étnica, religiosa, econômica ou geográfica.

Desde então estamos envolvidos em projetos sociais, como o Anna Laura Parque para Todos, que além de nos darem grande prazer em participar, nos acrescentam importantes experiências de vida e conhecimento para melhoria de nossos produtos.

Como reconhecimento deste trabalho, fomos convidados pela Secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida do Município de São Paulo para participar da REATECH – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade.

Para o estande propusemos os Painéis Xilofone, Ábaco e Pictograma, além da Bancada de Atividades Ciça

Painéis Ábaco, Pictograma e Xilofone.

Bancada de Atividades Ciça

 

 

 

 

 

 

 

 

Painel Xilofone

PAINEL XILOFONE

Objetivo
O Painel Xilofone tem como objetivo trabalhar o ritmo e a sonoridade, a estimulação auditiva, alcance, preensão, movimento MMSS (Movimentos Membros Superiores).

Descrição do equipamento
O equipamento é composto por 01 (um) painel com diversos tubos de alumínio de diferentes comprimentos pendurados e que emitem som em diversas notas musicais.
Ele é pintado em cores com grande contraste para facilitar a visualização de pessoas com baixa visão.

Como funciona
A brincadeira é sensorial, experimentar o som, sentir o som e socializar.
A criança também pode acessar o brinquedo em sua cadeira de rodas.
Elas utilizam a mão, bastão de madeira, galho de árvore, pulseira, qualquer material que esteja a mão e descobre que cada um proporciona distintos sons.

Painel Ábaco

PAINEL ABACO

Objetivo
Trata-se de um equipamento tem o objetivo de estimular a função visual, a atenção, a percepção do espaço, os movimentos e desenvolvimento da coordenação motora.

Descrição do equipamento
O equipamento é composto por 01 (um) painel duas janelas que contém uma barra com curvas sinuosas projetadas para fora do plano da placa com esferas de madeira que correm por ela.
Ele é pintado em cores com grande contraste para facilitar a visualização de pessoas com baixa visão.

Como funciona
A brincadeira é mexer nas bolinhas de diversas formas, empurrando, girando, enfileirando, como a imaginação fluir.
A criança também pode acessar o brinquedo em sua cadeira de rodas.

Bancada de Atividades Ciça

Objetivo

BANCADA DE ATIVIDADES CIÇA

Este equipamento desenvolve o trabalho de estimulação tátil e vivências sensoriais motoras manuais, favorece a linha média de MMSS (movimento de Membros Superiores), a vivência da postura ortostática.
Também promove a interação com outras crianças, o compartilhar, o fazer de conta, a criatividade, o pegar e soltar.

Descrição do equipamento
O equipamento é composto por 01 (uma) bancada com duas bacias que podem ser preenchidas com areia, pedras, lascas de madeira, terra, água, argila, qualquer e todo tipo de material atóxico.

Como funciona
A brincadeira é mexer com os elementos das bacias, descobrir possibilidades de manuseio, sentir a diferença de textura, de peso, de cheiro.
A criança também pode acessar o brinquedo em sua cadeira de rodas.

 

Painel Comunicativo Pictograma PCS

Objetivo
Trata-se de um equipamento projetado para inclusão de crianças com até alto comprometimento motor.
Este equipamento favorece a comunicação através de símbolos/figuras, a contação de acontecimentos e a escolha dos brinquedos do parque.

Descrição do equipamento
O equipamento é composto por 01 (um) painel com 16 cubos giratórios, com imagens fixadas em cada uma das faces destes cubos, totalizando 64 imagens.
Este brinquedo é baseado na comunicação não verbal, utilizando o sistema PCS.
Ele é pintado em cores com grande contraste para facilitar a visualização de pessoas com baixa visão.

Como funciona
A brincadeira é comunicar, socializar.
A criança também pode acessar o brinquedo em sua cadeira de rodas.
Elas formam frases utilizando os cubos com imagens, que estão dispostos de forma que as colunas formam a estrutura de uma frase: sujeito, verbo, substantivo, adjetivo.

Clube Monte Líbano

A convite do Clube Monte Líbano e sob especificação do escritório de arquitetura paisagística Benedito Abbud, a LAO Engenharia e Design criou, fabricou e instalou uma série de brinquedos para o novo playground deste renomado clube, sediado em São Paulo.

Neste projeto foram utilizados os tradicionais brinquedos da linha Pacta, fabricados em tronco de eucalipto, além de bichos de mola e metálicos.

O Jerica, da linha Brasil, foi adaptado para se acomodar entre os grandes Ficcus, dando a ideia de um arvorismo e a sensação de aventura na floresta. Tem sua estrutura fabricada com troncos de eucalipto autoclavado, plataformas em madeira tropical de alta densidade, conectadas por uma ponte dinâmica tipo desfiladeiro, pneus pendurados formando um balanço, rede de cordas de poliéster e rampa de escalada. Este brinquedo, assim como a Casa Red, o Balanço e o Barco, atendem as crianças de 05 a 10 anos.

As crianças na primeira infância não foram deixadas de lado; o Casulinho, da Linha AmaZoo, é projetado justamente com o propósito de instigar a curiosidade, a descoberta do corpo, a coordenação motora e as relações sociais, através de tubos metálicos e plásticos e redes de cordas que desafiam a criança. Além destes brinquedos elas também poderão contar com os Chalés Suíços e Bichinhos de Mola para completar a brincadeira.

Mais fotos:

 

Colégio Santa Cruz

Este playground criado pelo escritório Levisky Arquitetura  para o novo espaço de recreação do colégio Santa Cruz, em São Paulo tem como característica marcante seu desenho contemporâneo,  tirando partido de linhas e formas curvas.

Anteprojeto Arquitetônico

A LAO Engenharia & Design foi responsável por apresentar a solução construtiva para este projeto que resultou em uma estrutura metálica composta por chapas perfuradas recortadas, dobradas e soldadas de forma facetada.

Projeto executivo

O brinquedão, como foi batizado, tem uma seção que remete a um onda, onde a crista foi projetada para evitar que as crianças consigam subir na parte superior do brinquedo. Pendurada a ela sinos que são tocados pelas crianças quando atingem o topo da escalada formada por pedras e fixadas ao longo das paredes do equipamento.

Estas paredes são fabricadas em chapa perfurada que além de ventilação e resfriamento, proporcionam visibilidade à parte interna do brinquedo, exigência por conta da segurança das crianças,  e possibilidades infinitas de fixação de elementos como pedras de escalada, cordas e tecidos, fazendo com que as brincadeiras possam sempre ser reinventadas.

Ainda como parte integrante do brinquedo uma rede de cordas, um tubo de passagem para o outro parquinho e um muro parede com aplicação de janelas coloridas que estimulam experiências visuais.

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma rede tridimensional em forma de pirâmide une-se ao brinquedão por meio de uma ponte, feitos de Cordaço (material fabricado com cabo de aço revestido por nylon e nós de alumínio maciço).

Um enorme banco, de curvas sinuosas, feito em estrutura metálica e revestido por madeira tropical de alta densidade (Cumarú) que parece estar flutuando, é um perfeito convite para a criança sentar-se, equilibrar-se, desenhar ou conversar.

 

 

Parque Jefferson – Manaus

Entrada do Playground

Desenvolvido sob a encomenda do escritório Benedito Abbud Arquitetura Paisagística, este projeto tem como tema a época áurea da indústria da borracha, onde a cidade de Manaus viveu grande desenvolvimento.

O arquiteto criou figuras que remetem à época como carruagens, aeroplano e seringueiras aplicadas ao mobiliário e aos equipamentos de recreação.

A LAO Engenharia apresentou a solução  executiva e desenvolveu o projeto, fabricação e instalação de todos os equipamentos.
Obras de arte em Aço Cortein, recortadas a laser, como figuras de casal espalhados pelo jardim, aeroplano.

 

 

 

 

 

Os brinquedos simulam um circuito de arvorismo no meio da floresta, onde plataformas, pontes, escorregadores e trepa trepas se integram às árvores cênicas em forma de seringueiras especialmente criadas para este projeto e fabricadas em resina plástica com reforço de fibra de vidro e pintura simulando falsa ferrugem, harmonizando assim com os elementos em aço cortein.


Anna Laura Parque Para todos e LAO

O Projeto ANNA LAURA PARQUES PARA TODOS disponibiliza espaços estruturados que proporcionam alegria, integração, motivação para todos, uma vez que é composto por diversos recursos lúdicos que propiciam às crianças com e sem deficiência um momento de troca ao compartilharem as mesmas experiências.

Vista Geral – AACD Mooca

Desta forma, as crianças com mobilidade reduzida e/ou alterações sensoriais e intelectuais terão a oportunidade de brincar de forma segura e ampliar experiências motoras, cognitivas e sensoriais, gerando sensações prazerosas que favorecem a melhora da autoestima, promovendo a acessibilidade social, caminho que conduz a uma sociedade sem preconceitos.
Temos muito orgulho em ser parceiros num projeto tão bonito como esse. Todos os playgrounds do Anna Laura Parques Para Todos são da LAO Engenharia.

Assistam alguns vídeos sobre este projeto na nossa seção Clipping

Casa Pinha no G.H. Senac de Campos do Jordão

Vista da área com casa Pinha ao fundo.

A convite da designer de interiores Lia Strauss e do Grande Hotel Senac, o engenheiro Lao Napolitano desenvolveu um playground multifuncional que tem como atração principal a casinha, batizada de Casa Pinha.

Fruto da araucária, a árvore-símbolo de Campos do Jordão, a pinha inspirou o traçado desta casinha suspensa, construída na área externa do hotel de Campos do Jordão, situada na Serra da Mantiqueira, no interior paulista.

Vista Geral do playground Multifuncional

A casinha e a trilha que leva a ela são suspensas por troncos de eucaliptos autoclavados, posicionados em “X”. As paredes e o teto são de taubilhas de pinos e são forrados internamente por placas OSB (sigla em inglês para painel de tiras de madeiras orientadas). Os batentes das portas e janelas são de réguas de cumaru. O piso é, também, de cumaru, com estrutura de barras metálicas.

O trajeto de acesso ao refúgio, que mede cerca de 15 metros, começa com duas plataformas em níveis distintos, com pisos idênticos ao da casa. Ligada a elas, há uma extensa ponte-desfiladeiro, composta por troncos de eucaliptos, presos por cabos de aço, e redes de proteção de cordas de poliéster.

Mais adiante, uma travessia formada por um único tronco ladeado por fitas de polipropileno trançadas, ligadas a duas toras laterais onde os pequenos aventureiros se apóiam durante a passagem, leva à Casa-Pinha.

Panorâmica do brinquedo

Para subir no brinquedo, a criançada pode usar, ao longo do percurso, duas miniparedes escalada, formadas por estruturas metálicas e de madeira (itaúba), superfícies de tábuas de cumaru e agarras de resinas de poliéster e areia. Para descer, é possível deslizar por dois escorregadores de plástico reciclado pós-consumo e por um corrimão de bombeiro. Uma escada metálica oferece as duas opções.

De acordo com Napolitano, “todas as conexões são feitas com parafusos, ao invés de pregos, que são cobertos com calotas de plásticos reciclados pós-consumo, e todas as extremidades do modelo são abauladas, para evitar arranhões nas crianças”, afirma. Ele também conta que a peça pode ser adaptada a diferentes tamanhos e características dos ambientes.